Poupar a pensar na reforma: que caminho escolher?

Se a sua ideia é poupar já para o período da reforma, a Deco diz que «há duas aplicações que, este ano, ainda proporcionam benefício fiscal». São elas os Planos Poupança Reforma e osCertificados de Reforma. Este ano, porque para o próximo a coisa pode complicar-se com os limites aos benefícios fiscais propostos pelo Governo. Se vierem mesmo a constar no Orçamento do Estado para o próximo ano, rapidamente perderão o interesse. 

Para já, os PPR deixam deduzir 20% das entregas anuais até ao limite de 300 a 400 euros, tendo em conta a idade do subscritor. E no caso dos Certificados de Reforma, pode ser deduzido 20% do dinheiro aplicado com o limite de 350 euros, mas sem limites de idade. 

Porém, as entregas são a uma percentagem fixa do salário (de2%, 4% ou 6%), pelo que só poderá atingir o limite máximo do benefício fiscal se ganhar mais do que «3.645 euros (de descontar 4%) ou mais do que 7.292 euros (caso desconte 2%) e descontar durante os 12 meses». 

A Deco Proteste explica ainda que os CR podem ser complementares aos PPR, já que os benefícios fiscais são acumulados: as deduções anuais à colecta de IRS vão até aos 750 euros - se juntarmos o máximo de 400 euros permitido nos PPR e de 350 nos CR. O grande senão é a impossibilidade de levantar o dinheiro antecipadamente.

fonte:agenciafinanceira

publicado por adm às 00:04 | comentar | favorito