Qual é a melhor forma de fazer crescer uma poupança de 10 mil euros?

O Económico foi ver quanto renderiam 10 mil euros se fossem hoje aplicados de seis formas diferentes.

Fazer crescer dinheiro no momento actual, não é tarefa fácil. Numa altura em que o medo e a turbulência dos mercados afecta a performance de várias classes de activos, é difícil encontrar "um fermento" que permita multiplicar as poupanças. A tarefa torna-se ainda mais complicada para os investidores passivos que- por comodismo, falta de informação ou de tempo- não procuram activamente no mercado as melhores soluções financeiras. Os dados do Banco de Portugal relativos ao estudo sobre literacia financeira, mostram que 56% dos inquiridos não faz uma comparação dos produtos disponíveis nas várias instituições antes de fazer um investimento. Mas fazer esse trabalho de casa e comparar a oferta entre os vários bancos pode-lhe dar muito frutos. Por exemplo, para um depósito a um ano há bancos que oferecem taxas que variam entre os 0,1% e os 6%. Isto significa que para uma aplicação no valor de 10 mil euros, a mais-valia que um investidor pode obter ao fim de um ano oscila entre os 8 e os 471 euros líquidos. Os números mostram, assim, o impacto que a diferença que alguns pontos percentuais na rentabilidade de um produto financeiro pode exercer no seu património. Curiosamente, no inquérito sobre Literacia Financeira do Banco de Portugal, a rentabilidade aparece como o factor mais determinante para a escolha de um produto financeiro, segundo os portugueses inquiridos

Para dar uma ideia mais próxima de quanto é que os investidores podem ver as suas poupanças crescer consoante optem por uma aplicação que lhes ofereça um juro de 1% ou por outra que remunere a uma taxa de 7%, o Diário Económico foi ver quanto renderia um montante de 10.000 euros, caso um investidor aplicasse o seu dinheiro em alguns dos mais populares produtos financeiros, às actuais taxas de mercado. Os números mostram que há diferenças substanciais na oferta disponível no mercado e que fazer a comparação de produtos compensa.

Os resultados mostram ainda que a solução menos vantajosa de todas é deixar o dinheiro "debaixo do colchão", ou numa simples conta bancária à ordem. É que neste cenário não só o seu dinheiro não está a render como ainda está a perder valor, devido ao efeito destruidor da inflação.

 

Ao final de um ano 10 mil euros valem....

 

10.392€ - Super depósitos
Apesar de o Banco de Portugal ter imposto novas regras para penalizar os bancos que pratiquem taxas de juro demasiado elevadas para os depósitos, ainda é possível encontrar depósitos com taxas atractivas. É o caso do Depósito Special One + do BCP (quatro anos); do Montepio Super Poupança (quatro anos), do Depósito a cinco anos do BIG, ou do Depósito Crescente a quatro anos do Banif. Todos eles apresentam uma TANB média de 5%. Isto significa que, por cada 10 mil euros aplicados, o investidor receberia 392 euros por ano, líquidos de impostos.

 

10.125€ - Certificados de aforro
Os certificados de aforro foram até há pouco tempo uma das aplicações financeiras preferidas dos portugueses. Mas as alterações introduzidas na fórmula de cálculo da remuneração destes produtos conduziu a uma quebra dos juros oferecidos aos investidores. Assiste-se agora a uma verdadeira fuga para os depósitos- que neste momento oferecem taxas que em alguns casos chegam a ser três vezes superiores. As subscrições de CA feitas em Novembro iriam beneficiar de uma taxa de juro bruta de 1,595%. Se os juros se mantiverem durante os trimestres seguintes, significa que ao fim de um ano, os seus 10.000 euros renderiam 125 euros.

 

12.400€ - O melhor fundo de investimento
Aplicar o seu dinheiro num fundo de investimento também é uma hipótese a ter em conta: com baixos montantes um investidor consegue ter exposição a várias classes de activos . Com uma vantagem adicional: os fundos beneficiam de uma gestão profissional. O problema é que nem mesmo os profissionais têm conseguido fintar as quedas dos mercados. Nos últimos 12 meses e segundo a APFIPP, 78% dos fundos estão negativos. Ainda assim, há quem consiga fintar a turbulência das bolsas. O fundo especial de investimento Caixagest Private Equity (o melhor nos últimos 12 meses) acumula ganhos de 24% . Quem tivesse investido 10 mil euros há 12 meses neste fundo hoje teria um ganho de 2.400 euros. Mas rentabilidades passadas não significam ganhos futuros.

 

10.008€ - Depósitos mais "forretas"
Os depósitos são como os chapéus: há muitos no mercado. E as diferenças de remuneração são assinaláveis. Para um depósito a um ano, segundo a análise da Deco, há bancos que oferecem remunerações que variam entre os 0,1% de TANB (no caso do Deutsche Bank) e os 6% (no caso do Finantia). Ou seja, se optar pelo depósito mais forreta, os 10 mil euros ao fim de um ano crescerão apenas 8 euros.

 

10.557€ - Certificados do Tesouro
Criados em 2010, os certificados do tesouro são um produto de dívida pública alternativo aos tradicionais certificados de aforro e cuja remuneração tenta seguir a evolução das ‘yields' das obrigações do tesouro a cinco e a 10 anos. No entanto, o facto da crise da dívida pública ter feito disparar as yields portuguesas para valores anormais, levou o IGCP a congelar os juros destas aplicações. Quem mantiver os 10 mil euros investidos por um período de 10 anos ficará sujeito a uma TANB de 7,10%. Ou seja, em média, por cada ano, o investidor receberá 557 euros, líquidos. No entanto, esta remuneração só é válida para quem mantiver o dinheiro investido por 10 anos.

 

9.650€ - Colchão
Colocar os 10 mil euros debaixo do colchão, ou numa conta bancária à ordem, sem obter qualquer remuneração, tem consequências negativas no seu património. Porque se ao fim de um ano, os seus 10 mil euros não forem beneficiados com uma remuneração, isso significa que findo esse período, os seus 10 mil euros terão encolhido na realidade, pelo efeito da inflação. As estimativas do Banco de Portugal e do Governo, apontam para que a taxa de inflação em 2011 se situe nos 3,5%. Isto significa que em termos reais, o seu pé-de-meia no final do ano valerá apenas 9.650 euros.

fonte:http://economico.sapo.pt

publicado por adm às 13:35 | comentar | favorito