Depósitos a prazo pagam juro mais elevado dos últimos três anos

A taxa de juro oferecida pelos depósitos a prazo atingiu o valor mais elevados dos últimos três anos. Segundo os dados do Banco de Portugal, o juro oferecido pelos bancos nestes instrumentos de poupança superou os 4% em Setembro. 

A taxa de juro dos depósitos atingiu os 4,05%, em Setembro, um valor bastante acima dos 1,91% pagos em igual período do ano passado. Aliás, é preciso mesmo recuar até Novembro de 2008 para encontrar uma taxa de juro nos depósitos tão elevada. Na altura, o Lehman Brothers tinha acabado de anunciar falência e as taxas Euribor negociavam em máximos históricos. 

Com as dificuldades de acesso a financiamento, os bancos têm procurado financiar-se através dos clientes. Além disso, o facto da banca ter de se desalavancar o seu balanço, nomeadamente através da diminuição do rácio de transformação (a diferença entre os depósitos e os créditos,) reforça a aposta do sector financeiro neste tipo de instrumentos. Quem beneficia são os investidores que conseguem assim melhores remunerações para as suas poupanças.  

Banco de Portugal trava "guerra" nos depósitos

Com os bancos a oferecerem taxas cada vez mais elevadas, numa tentativa de captar capital dos clientes, o regulador bancário viu-se forçado a seguir uma prática já adoptada em Espanha e limitar a taxa oferecida nos depósitos. Assim, desde 1 de Novembro, quem ultrapassar esse limiar é penalizado nos rácios de capital.

O Banco de Portugal determinou que os bancos que ofereçam uma taxa de juro superior em 300 pontos base à taxa de mercado serão penalizados no seu rácio de capital de base (core tier 1). 

Actualmente, as instituições financeiras estão obrigadas, devido ao acordo com a troika, a reforçar os capitais de base. Os bancos têm de atingir um 'core tier 1' de 9% até ao final deste ano e de 10% em 2012. Além disso, têm de reduzir o rácio de transformação, ou seja, o rácio de depósitos sobre créditos.

Nesta altura, com as dificuldades de financiamento e a necessidade de cumprir os rácios, muitos bancos apostaram nos depósitos, o que já é visível através das inúmeras campanhas que estão em vigor em várias instituições financeiras.

Numa nota, o Banco de Portugal referia que "ao longo dos últimos meses tem-se verificado uma subida progressiva das taxas de remuneração oferecidas pelos bancos na captação de depósitos, em particular, em alguns segmentos de mercado".

Acrescentava o regulador que "por entender que esse movimento das taxas dos depósitos envolve riscos acrescidos para as instituições e, em última instância, para o conjunto do sistema financeiro, o Conselho de Administração do Banco de Portugal aprovou medidas no sentido de fazer reflectir tais práticas em maior exigência de fundos próprios nas instituições envolvidas".

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 00:35 | comentar | favorito