Os melhores depósitos oferecidos pela banca

Os bancos continuam activamente a tentar captar mais depósitos para reforçarem os seus meios de financiamento, procurando cada vez mais fazê--lo por prazos iguais ou superiores a seis meses, de modo a comporem os seus balanços de final de ano.

Um dos factores que normalmente influenciam as taxas dos depósitos é o valor da Euribor. Mas, ao contrário do que tem sido amplamente difundido pelas notícias, a Euribor continua a valores bastante baixos e relativamente estáveis, rondando actualmente 1,134%, ou seja, muito próxima da taxa de desconto de 1% praticada pelo Banco Central Europeu.

É importante referir que as oscilações actuais da Euribor têm muito mais que ver com alguma falta de liquidez no mercado interbancário, com os bancos avessos a emprestarem dinheiro uns aos outros, do que propriamente com uma expectativa de recuperação económica que leve o Banco Central Europeu a aumentar as suas taxas de juro.

Do ponto de vista das pessoas que têm poupanças, é interessante o momento que se vive actualmente, com os bancos a oferecerem taxas nos depósitos muito superiores à Euribor, nalguns casos mesmo acima de 3%, quando há dois anos a Euribor funcionava quase como o tecto máximo. Esta maior generosidade dos bancos deve-se ao facto de, actualmente, estes não se conseguirem financiar internacionalmente, devido ao elevado risco atribuído a Portugal, como consequência do endividamento excessivo em que o País se encontra.

Se o Estado português só consegue financiar-se pagando 2,76% a 1 ano e 5,3% a 10 anos, é inevitável que os bancos nacionais sejam obrigados pelos outros bancos a pagar taxas superiores para os mesmos prazos no mercado interbancário internacional.

Com a necessidade de obter financiamento, de apresentar contas sólidas e o aumento da agressividade concorrencial entre si, é natural que até ao final do ano os bancos melhorem ainda mais as condições oferecidas, pelo que o prazo ideal deverão ser 3 meses, de modo a vencer-se ainda em 2010. No entanto, neste momento o ideal são os depósitos a vários anos.

Actualmente, os melhores depósitos são os depósitos a vários anos, com pagamento periódico de juros e em que os clientes podem sair sem qualquer penalização após o pagamento dos juros.

Assim, os clientes ficam com a opção de sair, se encontrarem um depósito melhor. São exemplos o depósito de 3,75% do Banco Finantia, o DP 3:30 do Finibanco, o DP Mais por Mais do Barclays e os DPs Crescentes do Banif.

No quadro abaixo, pode consultar as melhores ofertas de depósitos a prazo, em função do prazo e do montante.

E é sempre importante não esquecer que o máximo coberto pelo fundo de garantia de depósitos é de 100 mil euros por titular até 31 de Dezembro de 2011.

Aviso importante: Não dispensa a consulta das condições completas dos produtos junto das respectivas instituições financeiras.

fonte:dn.sapo

publicado por adm às 01:25 | comentar | favorito