Ronaldo já não marca golos nos super depósitos do BES

A maioria dos bancos continua a oferecer ‘super taxas’ apesar da entrada em vigor de limites.

O depósito a prazo ‘Nova Conta Rendimento CR', que tinha como embaixador Cristiano Ronaldo, já não se encontra disponível para subscrição no BES.

O produto deixou de constar do preçário do banco, que entrou ontem em vigor, e através da linha de atendimento a instituição confirma que o produto já não está disponível. A descontinuação deste depósito surge um dia após a introdução dos limites impostos pelo Banco de Portugal para as taxas de juro praticadas nos depósitos a prazo. Esta aplicação a três anos contava com uma taxa anual nominal bruta (TANB) média de 4,83%, acima do limite actualmente válido para este prazo.

Esta foi uma das raras baixas desde a entrada em vigor da instrução, já que a larga maioria dos bancos que apostava em super depósitos continua a disponibilizá-los. Montepio, Banif, banco BiG, banco Best e Finantia são responsáveis por quase 90% desta oferta, cujas taxas de juro chegam aos 6,25% a 4 meses no ActivoBank. A maioria destas aplicações tem prazos entre três e 12 meses. O Diário Económico contabilizou 19 super depósitos actualmente em vigor, menos cinco do que na semana passada. Para esta diminuição contribuíram principalmente a descontinuação de dois depósitos do Popular. O banco espanhol baixou ainda as taxas de juro do Depósito Ordenado a 12 meses, cuja TANB chegava aos 7%. Oferece agora 5%. Também a taxa média do depósito Ouro Crescente 6 meses passou de 5% para 4,5%.

A oferta de super depósitos conta ainda com uma aplicação do Santander, o DP 5, com uma TANB de 5% a três meses, e com o depósito recentemente lançado pelo BCP que tem como figura de proa José Mourinho. O ‘Special One +' continua disponível para subscrição, com uma TANB média de 5% a quatro anos.

De acordo com as novas normas, em vigor desde terça-feira, aos bancos que pratiquem taxas de juro acima do limite estipulado será imposta uma penalização nos fundos próprios. O tecto máximo é calculado com base na taxa Euribor correspondente - até prazos a 12 meses - ou, para prazos superiores a um ano, com base nas taxas swap das Euribor.

De lembrar que os bancos tentam actualmente reforçar capitais dado o objectivo fixado pela ‘troika'. As oito maiores instituições nacionais terão de atingir um ‘core Tier I' de 9% este ano e 10% em 2012. A nova norma deverá prejudicar principalmente os bancos de menor dimensão, mais propensos a oferecer taxas de juro superiores na tentativa de captar recursos de clientes. Apesar de alguns destes bancos não estarem sujeitos aos objectivos fixados pela ‘troika', têm igualmente mínimos de capital a cumprir.

Há alguns meses o Banco de Espanha já havia tomado medidas semelhantes, e tal como em Espanha onde o BES, por exemplo, não foi incluído nos bancos afectados, também em Portugal existem excepções a esta lei. A instrução do Banco de Portugal exclui as sucursais de instituições com sede dentro da União Europeia.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 23:16 | comentar | favorito