Juro dos depósitos sobe para níveis pós-Lehman

Remuneração dos depósitos em Portugal é a que mais sobe entre os periféricos. Conheça os melhores depósitos.

A estratégia é agressiva e tem um "potencial limitado" no médio e longo prazos, mas no curto prazo está a dar frutos. Desde Maio de 2010, sobretudo, que os bancos portugueses estão imparáveis no que se refere à oferta de remunerações dos novos depósitos. Segundo os dados revelados esta semana pelo Banco de Portugal (BdP), no Boletim Estatístico de Setembro, as instituições portuguesas estavam, em Julho, a oferecer uma remuneração de 3,82% nos novos depósitos, um valor praticamente igual ao que ofereciam na altura da falência da Lehman Brothers - em Dezembro de 2008 os juros fixavam-se nos 3,68%.

Contas feitas e as instituições portuguesas estavam, há dois meses, a oferecer exactamente a mesma remuneração que os bancos helénicos. Na verdade, desde há três anos que a taxa de juro dos depósitos da banca nacional é a que regista uma subida mais consistente entre os países periféricos europeus, ou seja, os mais afectados pela crise de dívida soberana. "Se isso resulta das dificuldades de financiamento dos bancos portugueses? Resulta. Mas não se pode dizer que estão piores do que os outros, visto não serem directamente comparáveis", sublinha a economista-chefe do BPI, Cristina Casalinho, em declarações ao Diário Económico. É que para além das regras específicas dos reguladores de cada país, há que ter também em conta "o momento que cada país atravessa", nota a responsável. Por exemplo, explica, "os bancos espanhóis e italianos tiveram uma subida significativa de recursos ao Banco Central Europeu (BCE) nos últimos meses, e portanto estão a entrar agora numa dinâmica em que os bancos portugueses já entraram há cerca de um ano. Estamos em fases diferentes", acrescenta. De notar ainda que a remuneração dos depósitos nacionais tem vindo a traçar um caminho inversamente proporcional ao da evolução das taxas Euribor: enquanto o prazo a doze meses se manteve praticamente estável entre Setembro de 2009 e o início de 2011, as taxas de juro continuaram a subir. Um sinal de que os bancos estão dispostos a pagar mais pelos depósitos do que a cobrar pelos empréstimos - um diferencial que pode, no entanto, estar a ser garantido com ‘spreads' mais elevados.

Certo é que a estratégia está a resultar, e atrai cada vez mais depositantes. Segundo o mesmo documento do BdP, o montante de depósitos dos particulares aumentou 7%, tendo atingido em Julho os 126.916 milhões de euros e somando dez meses consecutivos de aumentos dos depósitos no País. O mesmo documento revela ainda que a banca nacional continua a cortar na concessão do crédito às famílias, tendo havido uma contracção de 0,23% nos empréstimos para consumo e habitação a particulares, no mês de Julho. Foi o maior corte mensal da banca em dois anos e meio.

No longo prazo, porém, a estratégia pode vir a revelar-se "estéril, visto o potencial de depósitos ser baixo e todas as instituições estarem a utilizar a mesma estratégia", avisa ainda Cristina Casalinho.

 

Os melhores depósitos...

... a um ano
O depósito ‘DP TOP II', do Banco BIG oferece actualmente uma remuneração bruta de 4,75%, a melhor do mercado, segundo dados da Proteste. O Banco BIG exige, neste caso, um depósito de 60.000 euros. Pode ainda optar pelo ‘Depósito Ouro Plus 12 meses', do Banco Popular, que exige o depósito de um montante mínimo de 300 euros, oferecendo uma taxa de juro de 4,50%, a segunda mais alta.

...a seis meses
Neste caso o Banco Best encabeça a lista, ao oferecer uma remuneração bruta de 6% no ‘Depósito 6% Já'. O montante mínimo para abrir uma conta é de 2.500 euros. O ‘Super Depósito' do banco BIG ocupa o segundo lugar da tabela, ao oferecer um juro de 5,50%, exigindo um depósito de 500 euros.

... a três meses
O depósito ‘DP 5' do Santander Totta oferece aos clientes uma remuneração bruta de 5%, a três meses, estabelecendo um montante mínimo de 250 euros. A segunda melhor remuneração é oferecida pelo Banco BIG, através do ‘Super Depósito'. Perante um depósito mínimo de 500 euros, a taxa de juro fixa-se nos 4,5%.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 20:17 | comentar | favorito