O que precisa de saber sobre depósitos indexados

Os depósitos indexados são conhecidos por serem produtos financeiros complexos. Apesar de serem aplicações a prazo, são bastante diferentes dos tradicionais depósitos que são comercializados pela sua instituição financeira. O Saldo Positivo mostra-lhe as diferenças entre esses dois tipos de depósitos.


Os depósitos indexados podem seguir vários activos financeiros.

O que difere dos depósitos tradicionais

A maior diferença está no facto de a sua rendibilidade estar dependente da evolução de outros activos financeiros (instrumentos financeiros, variáveis económicas e financeiras). Por exemplo, estes depósitos podem seguir o comportamento de uma acção, de um índice ou até de um fundo de investimento.

Que produto é?

Segundo o Decreto-Lei nº211-A/2008, os depósitos indexados são produtos financeiros complexos que seguem algumas normas criadas pelo Banco de Portugal. Segundo o Aviso n.º 5/2009, antes que o investidor possa subscrever um depósito indexado, a instituição financeira tem de entregar obrigatoriamente ao cliente o prospecto informativo do produto. Ou seja, o cliente para subscrever o produto é obrigado a ler e a saber as características do depósito que pretende subscrever.

Assim, só podem ser comercializados pelas instituições financeiras os depósitos indexados que tenham sido aprovados pela entidade reguladora, ou seja, o Banco de Portugal. Caso tenha alguma dúvida na sua instituição financeira, consulte o local adequado no Banco de Portugal aqui.

O prospecto

Neste tipo de produtos financeiros o prospecto torna-se numa peça vital para o seu investimento e sobretudo para perceber o que está na base das rendibilidades futuras. A leitura atenta do documento poderá ser a chave para o sucesso. Assim, existem alguns aspectos que deve ter em conta no documento de informação sobre o produto:

  • Caracterização do produto: É um dos aspectos mais importantes quando vai subscrever o seu produto financeiro complexo. Nesta rubrica vai conhecer em traços gerais qual o produto que irá subscrever e as suas características.
  • Garantia de capital: Aqui está um dos pontos chaves para o sucesso do seu depósito. É nesta área que sabe se tem ou não garantia de capital no final do prazo ou durante o investimento.
  • Garantia de Remuneração: Tal como o ponto anterior, este item é importante para o futuro do seu produto. Existem produtos que não garantem remuneração mínima, sobretudo porque estão indexados a um activo financeiro mais volátil. Tenha atenção.
  • Factores de risco: Existem diversos factores de risco para os produtos financeiros complexos, consoante as características do mesmo. Os mais importantes são o risco de mercado, o de crédito e o de liquidez.
  • Remuneração: É muito importante, aliada à “Garantia de Remuneração”. Aqui irá verificar como será a remuneração do seu produto. A fórmula de cálculo da remuneração é o factor-chave do seu investimento. Esse cálculo poderá englobar algumas variáveis e terá de fazer contas para saber qual será a sua remuneração. Exemplo: Imagine que tem um um depósito indexado ao índice PSI-20. Mesmo que o índice bolsista de referência nacional suba 10 por cento, o seu depósito poderá não subir na mesma amplitude, já que o cálculo poderá ser diferente.
  • Mobilização antecipada: É um item que pode fazer a diferença. Caso necessite desse dinheiro para alguma eventualidade, é aqui que irá saber se pode ou não mobilizar o capital e quais as penalizações.
  • Fundo de Garantia de Depósitos: Apesar de serem produtos financeiros complexos, também estão presentes no Fundo de Garantia de Depósitos que garante o reembolso até 100 mil euros.

Em suma, tenha muita atenção ao seu perfil de risco aliado à informação sobre o produto. Aqui pode estar a chave do sucesso para as suas finanças. Pondere adequadamente antes de investir.

fonte:http://www.saldopositivo.cgd.pt/

publicado por adm às 22:51 | favorito