Saiba como investir nos novos Certificados do Tesouro

Os Certificados do Tesouro são uma alternativa para os portugueses aplicarem o seu dinheiro.

O Governo pretende convencer os aforradores portugueses, "prometendo" ganhos próximos dos juros pagos pelas obrigações do Tesouro.

 

1. Onde os posso subscrever?
Os Certificados do Tesouro estão disponíveis apenas em cerca de um terço dos balcões dos CTT e no Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP), instituição junto da qual terá de abrir uma conta, sendo a subscrição feita via Internet.

 

2. Quais os montantes de investimento?
O montante mínimo que poderá subscrever são 1.000 euros (cada título tem o valor nominal de um euro) e o máximo é um milhão de euros. O período máximo de permanência são 10 anos, à semelhança do que acontece nos Certificados de Aforro.

 

3. Como são calculados os juros?
O cálculo dos juros obedece a diferentes fases de vida do produto e varia mensalmente. Assim, na primeira fase, ou seja, durante os primeiros cinco anos, irá receber um juro que terá como referência a taxa de juro dos Bilhetes do Tesouro ou a Euribor a 12 meses, praticadas à data de subscrição. Para este mês, o IGCP definiu juros brutos de 1,40% (1,10% líquidos). No quinto ano, o aforrador é ressarcido do diferencial de juros entre o que estava a receber e o valor fixado com base nos juros das Obrigações do Tesouro a cinco anos no momento da subscrição (4,30% brutos ou 3,38% líquidos). A partir desta data passará a receber anualmente esta taxa até ao nono ano. No décimo ano voltará a ser feito o acerto entre os juros que está a ganhar e a taxa de juro anual garantida para uma aplicação a 10 anos: os 5,35% (4,20% líquidos).

 

4. Quanto rende o investimento?
Os juros são distribuídos ao final de cada ano e depositados na conta do investidor. Quem, por exemplo, aplicar 1.000 euros em Certificados do Tesouro em Agosto, ao fim de 10 anos, poderá contar com um retorno acumulado de 419,98 euros em juros. Caso o resgate seja efectuado no final dos cinco anos, a remuneração será de 168,78 euros. 
Face aos Certificados de Aforro, esta aplicação só compensa a partir do quinto ano de permanência.

 

5. A partir de quando posso resfatar o dinheiro?
Poderá fazê-lo seis meses após a subscrição, podendo também recorrer ao resgate antecipado, total ou parcial, nas datas anuais de pagamentos de juros. Fora dessas datas perderá direito ao juro correspondente ao período entre o último pagamento e a data de resgate.

fonte:Economico

 

Leia também o artigo: Os portugueses investiram 158 milhões de euros nos Certificados do Tesouro

publicado por adm às 23:47 | comentar | favorito