Fuga aos certificados de aforro retira 300 milhões ao Estado em Junho

No primeiro semestre, portugueses subscreveram somente 196 milhões de euros em certificados de aforro e resgataram 2.522 milhões.

 

De acordo com o boletim mensal do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP), o saldo líquido deste instrumento de poupança era, em Junho, de 13.145 milhões de euros, menos 331 milhões do que em Maio.

No total, foram resgatados 360 milhões de euros, enquanto as novas subscrições foram apenas de 28 milhões. Ainda assim, a fuga aos certificados de aforro tinha sido maior nos meses anteriores.

Desde o início do ano, as subscrições deste produto de poupança foram de apenas 196 milhões, enquanto as amortizações chegaram aos 2.522 milhões, o que empurra o saldo negativo para 2,3 mil milhões de euros. 

A "fuga" a este instrumento de poupança tem sido influenciada pelos receios de que alguns países periféricos do euro, como a Grécia e Portugal, tenham de enveredar por uma reestruturação da dívida pública, algo que poderia vir a penalizar os detentores de certificados de aforro.

Quanto aos certificados do Tesouro, a situação é diferente, visto que, em Junho, o Estado conseguiu mais 24 milhões de euros com este instrumento de poupança, em termos líquidos.

Nos primeiros seis meses do ano, as subscrições de certificados do Tesouro chegaram aos 722 milhões de euros e foram resgatados apenas 169 milhões. Ou seja, o Estado obteve um saldo líquido de 553 milhões de euros com este instrumento de poupança.

fonte:http://economia.publico.pt/N

publicado por adm às 22:50 | comentar | favorito