Super depósitos pagam cinco vezes mais para Fundo de Garantia

O Governo espanhol aprovou hoje o decreto que impõe uma taxa especial para os depósitos a prazo com remunerações mais elevadas e foi mais além do que o esperado.

Os super depósitos vão pagar cinco vezes mais para o Fundo de Garantia de Depósitos quando inicialmente era esperado que pagassem o dobro. Governo vai ainda exercer maior controlo sobre os salários da banca.

O vice-presidente e ministro do Interior espanhol, Alfredo Pérez Rubalcaba, justifica a medida com o facto de que "os depósitos mais rentáveis acabam por trazer créditos mais caros para todos". Uma legislação que vem favorecer o BES uma vez que não integra o Fundo de Garantia de Depósitos espanhol. A adesão ao Fundo é voluntária para as sucursais estrangeiras com presença em Espanha.

Serão assim penalizados os depósitos a mais de três meses, mas a menos de um ano, que paguem um rendimento anual superior à taxa Euribor a seis meses média acrescida de 150 pontos base - actualmente o limite estaria situado em torno dos 3,214%. Para os depósitos a um ano ou mais o limite será a taxa Euribor a 12 meses média acrescida de 100 pontos base, o que equivaleria actualmente a 3,137%. Os depósitos a três meses ou menos terão de remunerar no limite da média da Euribor a três meses mais 150 pontos base (2,934%). E, por último, as contas que paguem mais do que a média da Euribor a um mês mais 100 pontos base (2,223%). O Governo alerta que esta medida não é apenas uma advertência ao sector e supõe uma autêntica intervenção no mercado.

Controlo sobre os salários da banca

O executivo aprovou ainda medidas que permitirão ao Banco de Espanha exercer relativo controlo sobre os salários no sector financeiro, tal como exige Bruxelas, numa tentativa de atenuar a falta de regulação sobre determinados produtos bancários que estiveram na origem da crise financeira.

O Banco de Espanha poderá assim regular os salários dos quadros superiores de entidades que recebam ajudas públicas, ao mesmo tempo que vigiará os incentivos pagos no sector, numa tentativa de evitar práticas especulativas.

fonte:http://economico.sapo.pt/

 

publicado por adm às 20:52 | comentar | favorito