Os bancos com as melhores ofertas para depósitos a prazo

Durante o mês de Julho, as taxas oferecidas nos depósitos a prazo mantiveram-se estáveis, tendo apenas o Bigonline aumentado ligeiramente as taxas que oferece nos depósitos para alguns prazos.

 

A partir deste mês, devido ao aumento dos impostos definido no PEC, a taxa liberatória passou de 20% para 21,5%. Apesar de este ser um aumento reduzido, pois traduz--se numa redução dos juros líquidos de apenas 1,875%, altera um imposto que, por norma, não sofria alterações.

Como factor positivo para os clientes de depósitos, as taxas Euribor continuaram a sua subida, tendo já subido mais nos primeiros quinze dias de Julho do que o que subiram em todo o mês de Junho.

 

Apesar de os dados económicos mais recentes revelarem alguma melhoria da economia, as previsões para o desempenho económico futuro tornaram-se mais pessimistas, pelo que a subida das taxas Euribor não revela uma maior probabilidade de o BCE aumentar as suas taxas, mas sim que os bancos europeus estão a exigir uma maior remuneração para emprestarem dinheiro entre si.

 

Neste momento, os bancos nacionais possuem apenas duas formas de satisfazer as suas necessidades de financiamento: Através do recurso ao financiamento directo do BCE ou através da captação de depósitos dos seus clientes.

 

Uma vez que o BCE apenas empresta dinheiro aos bancos mediante a apresentação de colaterais, é provável que continuemos a ver os bancos melhorarem as suas ofertas nos depósitos a prazo à medida que vão esgotando os colaterais elegíveis para apresentar ao BCE e à medida que o ano se vai aproximando do fim.

 

O prazo ideal para os depósitos a prazo nas circunstâncias actuais deverá ser de 3 meses, pois irá permitir que o seu vencimento coincida com as vésperas do final do ano, altura em que os bancos necessitam de compor, o melhor possível, o seu balanço.

 

No entanto, os melhores depósitos a prazo, neste momento, são os depósitos a vários anos, com pagamento periódico de juros e que permitem a mobilização antecipada sem qualquer penalização. Para além das taxas mais elevadas, o cliente recebe juros periodicamente e possui a opção, caso encontre uma alternativa melhor de investimento, de desmobilizar o depósito após as datas de pagamento de juro, sem qualquer penalização.

 

São exemplos destes depósitos: o depósito Finantia Rendimento 3,75%; o depósito Mais por Mais do Barclays e os depósitos crescentes do Banif.

No quadro abaixo, pode consultar as melhores ofertas de depósitos a prazo, em função do prazo e do montante. Pode também consultar as melhores ofertas em www.moneygps.pt onde são actualizadas diariamente.

 

É sempre importante não esquecer que o máximo coberto pelo fundo de garantia de depósitos, até 31 de Dezembro de 2011, é de 100 mil euros por titular.

Aviso importante: não dispensa a consulta das condições completas dos produtos junto das respectivas instituições financeiras.

publicado por adm às 00:06 | favorito