Depósitos dos portugueses diminuem em Fevereiro

Famílias e empresas reduziram os seus depósitos no mês de Fevereiro, quando comparado com o mês anterior.

 

Os dados preliminares do Banco de Portugalrevelam que no total, empresas e famílias depositaram 18 mil milhões de euros, em Fevereiro, o que corresponde a uma quebra de quase 13% face ao mês de Janeiro. Já quando comparado com igual período do ano passado, a evolução é positiva (40,5%).

Entre as famílias as poupanças colocadas nos bancos diminuíram 20%, em termos mensais, para 8,9 mil milhões de euros. Já as empresas reduziram em 4,67% os seus depósitos, no mês em análise.

Em período de crise a tendência é para que as famílias aumentem as suas poupanças, contudo, numa altura em que a taxa de desemprego se mantém acima dos 11%, em que os impostos aumentaram e muitos portugueses perderam parte dos seus rendimentos (nomeadamente por via de cortes salariais na função pública ) a capacidade de poupança diminui.

Os últimos dados revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) apontam para uma quebra da taxa de poupança das famílias para 9,8%, no final do ano passado. Um nível que compara com os 10,3% registados no terceiro trimestre de 2010.

Esta evolução “resultou do abrandamento mais significativo do rendimento disponível das famílias”, um factor que foi influenciado pelo “maior aumento dos impostos sobre rendimento e património" e pela "redução das prestações sociais recebidas pelas famílias”, explicou o INE no final de Março, altura em que divulgou os dados.

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/

publicado por adm às 23:25 | comentar | favorito