Quais os melhores depósitos de taxa crescente do mercado...

Qual é o melhor depósito do mercado? A resposta a esta questão vale um milhão. Com o agudizar da crise económica são muitos os investidores que procuram nos depósitos a segurança para o seu dinheiro. No entanto, a segurança tem um preço: um rendimento mais baixo. Com a queda abrupta das taxas interbancárias verificada no ano passado, muitos portugueses sentem-se frustrados com o facto das suas poupanças aplicadas em depósitos a prazo não crescerem. Perante a dificuldade em captar mais poupanças dos investidores e o crescente apetite dos aforradores por alternativas de investimento, a banca está a lançar no mercado depósitos de taxa crescente. Ou seja: produtos cuja remuneração vai crescendo à medida que se prolonga o período de vida do depósito. Têm como característica comum o facto de serem aplicações com uma maturidade superior a um ano. Assim, estes produtos começam por remunerar no primeiro semestre (ou trimestre) com um juro mais tímido e oferecem uma taxa de juro mais elevada no último trimestre (ou semestre) de vida do produto. Em alguns casos, a remuneração paga pelos bancos no último período de vida do depósito pode chegar a atingir os 6% (taxa bruta).

Estes números, muitas vezes enfatizados nas campanhas publicitárias, podem aguçar à primeira vista a curiosidade dos investidores. No entanto, uma análise mais atenta mostra que, em termos médios, a taxa de juro média anual destes produtos acaba por ser bem mais modesta do que parece à primeira vista.

 

O Diário Económico analisou os depósitos de taxa crescente que estão a ser comercializados e publicitados nos sites de nove bancos diferentes. A saber: CGD, BCP, BES, Santander Totta, Montepio Geral, Crédito Agrícola, Banif, BBVA e BIG. O BPI, Barclays e Banco Popular não estão incluídos, pois não têm neste momento disponíveis depósitos de taxa crescente- ou pelo menos não estão a publicitá-los nos seus sites.

No total foram estudados 27 depósitos de taxa crescente. E há um dado que salta à vista: na maioria dos casos, a taxa de juro anual média do depósito de taxa crescente é igual ou inferior à praticada nos melhores depósitos a 12 meses tradicionais. Recorde-se que os cinco melhores depósitos do mercado a um ano apresentam uma remuneração que oscila entre os 2,36% e os 1,57% (taxa líquida), segundo dados da Deco. No entanto, são vários os depósitos de taxa crescente a dois, três, quatro e a cinco anos que apresentam remunerações médias anuais inferiores. É o caso do Super Depósito Crescente do Crédito Agrícola e que prevê uma taxa média anual líquida nos dois anos de vida do depósito de 0,903%. Ou seja, neste caso, o juro é inferior ao praticado neste momento em 27 depósitos a 12 meses tradicionais.

 

Em outros casos, as taxas de juro médias anuais dos depósitos crescentes igualam as praticadas nos melhores depósitos tradicionais, mas continuam a não compensar porque obrigam o investidor a ter o dinheiro aplicado durante um período longo-que pode chegar até aos cinco anos. Por exemplo, o melhor depósito de taxa crescente para cinco anos é o Caixa Aforro Anual +, da GCD. Este produto apresenta uma taxa de juro líquida no primeiro ano de 0,79% e vai crescendo anualmente até chegar ao quinto ano, altura em que atribui um juro de 4,71% líquidos. Contas feitas, a remuneração média anual líquida deste produto é de 2,08%. No entanto, o investidor tem de ter o dinheiro parado durante cinco anos para obter esta remuneração. Caso opte por retirar o seu dinheiro um ano mais cedo do que o previsto irá receber um juro médio bem mais modesto: 1,425% líquidos por ano.

A acrescentar a este facto está ainda a expectativa de subida de juros. Recorde-se que as taxas Euribor estão a subir há dois meses e é natural que os bancos comecem nos próximos meses a reflectir nos depósitos essa subida. Por isso mesmo, os especialistas aconselham os investidores mais conservadores a privilegiarem a aplicação em depósitos de mais curto prazo (um ano) e a renová-los por períodos semelhantes para, desta forma, conseguir acompanhar a trajectória ascendente dos juros.

 

Apesar destas desvantagens há produtos que se destacam pela positiva. O Diário Económico dá-lhe a conhecer os três melhores depósitos de taxa crescente que estão a ser disponibilizados pelos bancos para quatro prazos diferentes: até dois anos, dois anos, três, quatro e cinco anos. 
Note, no entanto, que alguns desses produtos impõem condições. Por exemplo, há depósitos de taxa crescente que só estão disponíveis para subscrição via internet. Outros, implicam a entrada de novos capitais ou são exclusivos para novos clientes. Há ainda outros que pressupõem que o cliente seja subscritor de outros produtos e serviços do banco. Recorde-se ainda que alguns produtos impõem limites mínimos ou máximos para subscrição. Regra geral, estes depósitos não permitem a capitalização de juros, nem admitem reforços adicionais.

 

Cuidados a ter em conta


Juros: Muitas vezes, as instituições tendem a salientar na publicidade a taxa de juro mais elevada do depósito (que se aplica apenas ao último trimestre, semestre ou ano de vida do produto). No entanto, não é a estas taxas que deverá prestar atenção mas antes à taxa anual nominal líquida (TANL). Esta é a taxa que lhe dá a indicação correcta de qual será o seu real rendimento por ano, caso mantenha o depósito até ao fim da maturidade.

 

Bónus: Alguns bancos, como o Banif e o Crédito Agrícola, afirmam conceder um bónus de permanência aos subscritores de depósitos de taxa crescente. Isto dá a ideia de que além da taxa de juro, o investidor receberá um bónus adicional. No entanto, na verdade, o bónus que as instituições se referem já está incorporado na taxa que vai crescendo ao longo do período de vida do depósito.

Penalizações: A generalidade dos depósitos de taxa crescente permitem a mobilização do capital antes do final do prazo, no entanto, poderão existir penalizações sobre o pagamento de juros. Antes de subscrever um depósito deste tipo procure saber quais são as penalizações que poderá sofrer se optar por resgatar o seu dinheiro mais cedo do que o previsto.


Os melhores depósitos de taxa crescente

Entre um e dois anos
Para os depósitos de taxa crescente prazos que variam entre um e um ano e meio, o Santander tem a taxa média líquida mais atractiva: 1,472%. Este produto só está disponível para subscrição através do site do banco. O mesmo acontece com o segundo melhor produto, o BESNetUp, que oferece um juro médio de 1,35. Em terceiro lugar está o Depósito Aforro Crescente Semestral do BCP. Os juros deste produto variam conforme o montante aplicado. Neste caso foi tida em conta a aplicação de 5.000 euros.

Dois anos
O produto do BES, o DP BES Crescente foi aquele que mais se destacou neste prazo ao atribuir um juro líquido médio anual de 2,159%, seguido pelo Banif e pelo produto do Montepio. Uma ressalva, no entanto, para o Montepio Poupança Valor: a taxa máxima só é aplicada se os clientes cumprirem alguns requisitos. Além disso, prevê um montante mínimo de investimento de 10 mil euros.

Três anos
Este é provavelmente um dos prazos onde é possível encontrar a maior oferta. No total de depósitos de taxa crescente analisados, o produto recentemente lançado pelo BBVA é aquele que está a remunerar melhor. Em média, o Depósito Crescente 2-3-4 BBVA rende em termos líquidos 2,38% ao ano. Com pouca diferença face a este produto, segue-se o depósito do BiG. O Santander volta a marcar presença, mas impõe um limite máximo de aplicação de 10.000 euros.

Quatro anos
Para este prazo, encontrámos sete produtos de taxa crescente. Deste leque há três produtos que sobressaem: o BiG tem o depósito de taxa crescente mais atractivo, ao atribuir um juro médio anual líquido de 2,65%. Segue-se o Depósito Crescente a 4 Anos do Banif e o pódio é encerrado por um produto do Montepio: o Montepio Super Poupança 2010. No entanto, este último exige um montante mínimo de 5.000 euros.

Cinco anos
Neste prazo, a CGD consegue colocar dois produtos no pódio: o Caixa Aforro Anual + e o Caixa Aforro Anual. O primeiro está disponível para novos clientes, clientes Caixa Azul, ou clientes residentes no estrangeiro (entre outras condições). Também o Depósito Crescente 5 anos do Santander consegue marcar presença entre os melhores. No entanto, há no mercado depósitos tradicionais (de taxa fixa) a cinco anos com taxas superiores. É o caso do Depósito BPI 5 que tem uma remuneração de: 2,129%.

fonte:http://economico.sapo.pt

 


publicado por adm às 22:33 | comentar | favorito