Juro dos depósitos a prazo cai para mínimo desde 2010

Rendibilidade média das aplicações a prazo comercializadas pelas instituições financeiras nacionais recuou pelo segundo mês consecutivo. Em Junho, fixou-se nos 2%.

As taxas praticadas pelas instituições financeiras nos depósitos a prazo continuam a cair. Em Junho, de acordo com os dados do Banco de Portugal, o juro médio oferecido nas aplicações até um ano fixou-se em 2%. É preciso recuar até ao final de 2010 para encontrar uma rendibilidade média tão baixa.

 

Depois de ter caído para 2,18% em Maio, a taxa média praticada pelos bancos nos depósitos com um prazo até um ano baixou ainda mais. Caiu para 2%, o nível mais baixo desde Setembro de 2010, altura em que o retorno oferecido por este produto de poupança estava nos 1,91%.

 

Desde o último pico, em Outubro de 2010, quando a taxa média chegou aos 4,57%, o juro oferecido pelos bancos encolheu para menos de metade. Um movimento despoletado pela intervenção do Banco de Portugal com a imposição de “limites” às taxas para proteger a rentabilidade do sector.

 

A redução das necessidades de liquidez por parte dos bancos, por estarem a aproximar-se do objectivo de ter um rácio entre depósitos e crédito concedido de 120%, tem levado também muitos bancos a reduzirem as taxas, contribuindo para a descida da remuneração destas aplicações.

 

Certificados arrasam depósitos

 

Num contexto marcado pela queda das taxas oferecidas nos depósitos a prazo, verifica-se um aumento da rendibilidade de outro produto de poupança, neste caso do Estado. Os certificados de aforro estão cada vez mais atractivos, oferecendo um prémio elevado face às aplicações dos bancos: 118,9 pontos-base.

 

A taxa bruta anual que vigorará nos próximos três meses está agora nos 3,189%, para quem subscrever estes títulos em Agosto. Os juros oferecidos por este produto dispararam desde que em Setembro o Governo decidiu introduzir um prémio de 275 pontos-base, elevando a taxa de mínimos históricos para mais de 3%.

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/m

publicado por adm às 22:59 | comentar | favorito