Depósitos das famílias aumentam para máximo desde Agosto

Banco de Portugal revela que os particulares depositaram mais de 300 milhões de euros em Fevereiro. Valor aplicado junto dos bancos é o mais elevado em seis meses, apesar da evolução negativa das taxas praticadas.

O montante aplicado pelos portugueses em depósitos aumentou em 363 milhões de euros, em Fevereiro. Um saldo positivo que mais do que anulou a saída de dinheiro de particulares dos depósitos a prazo no primeiro mês do ano quando foram resgatados 293 milhões de euros.

 

Com esta evolução, o valor total aplicado pelos portugueses nos bancos aumentou para 130.669 milhões de euros, revela o Boletim Estatístico do Banco de Portugal. Este é o valor mais elevado registado desde Agosto, altura em que o montante investido em depósitos ascendia a 131.397 milhões.

 

A maior “fatia” deste valor está aplicado em depósitos a prazo. Entre as aplicações constituídas pelas famílias, a preferência recai sobre produtos com um prazo de investimento de até um ano. Neste estão aplicados 53.110 milhões de euros. A prazos de mais de dois anos estão investidos 38.125 milhões.

 

Bancos mantêm taxas nos depósitos

 

Os depósitos aumentaram num mês marcado por uma estabilização da taxa média oferecida pelos bancos nas aplicações a prazo. Segundo os dados divulgados pelo Banco de Portugal, em Fevereiro o juro médio ficou inalterado face a Janeiro, ascendendo a 2,47%.

 

A taxa média caiu de forma expressiva durante o último ano, acompanhando a tendência de quebra dos juros de mercado, mas também dadas as menores necessidades de liquidez por parte dos bancos nacionais. O juro médio há um ano era de 3,52%, ou seja, mais de um ponto percentual superior. O último máximo foi em Outubro de 2011: 4,57%.

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/

publicado por adm às 00:27 | comentar | favorito