TAXAS DOS DEPÓSITOS A PRAZO EM 2013

Em início do ano, os bancos apresentam novos preçários com taxas ainda mais baixas. Um depósito de 5 mil euros a um ano rende entre 0,07 e 3,9%. A média situa-se em 1,5%.

Depósitos até um ano rendem até 3,9%

Já lá vão os tempos em que os depósitos proporcionavam juros de 5% ou 6% e que a banca on-line reinava como forma de captar clientes. Hoje o cenário é muito diferente, mas ainda há depósitos a render 6% brutos (o E-Depósito a longo prazo no Privatbank para cinco anos sem mobilização antecipada). Para o prazo de um ano, no máximo consegue 3,9% líquido, também no Privatbank. Note que este banco não está ao abrigo do Fundo de Garantia dos Depósitos nacional, mas do mecanismo de garantia da Letónia e, se alguma coisa correr mal, terá que contactar o Banco da Letónia.

Se é dos que prefere ficar por casa, ou seja, pelos bancos sobre a alçada do Banco de Portugal, então a melhor taxa de juro é proporcionada pelo Banco Popular (DP Ordenado), mas para um máximo de 5000 euros e com domiciliação de ordenado. Aceda ao nosso comparador com as taxas praticadas em todos os bancos.

 

Certificados voltam a ser alternativa

Com as alterações em vigor desde setembro de 2012, os Certificados de Aforro passaram a estar mais competitivos e a concorrer com os depósitos, pois o rendimento foi substancialmente melhorado. A série C, a que está em subscrição, rende 2,3% líquidos a quem renovar ou subscrever durante o mês de janeiro. Quem tem a série B, o rendimento é idêntico. Ainda assim, existem alguns depósitos com rendimento superior mas, a maioria deles, destinam-se a novos clientes, novos recursos ou montantes muito elevados.

 

Taxa de imposto é a única a subir

Em 2013 as previsões são, pelo menos para os próximos meses, ainda de descida das taxas de juros. A única taxa que subiu foi mesmo a taxa de imposto sobre o rendimento dos mesmos que, em cerca de um ano, passou de 21,5 para 28%. Assim, o rendimento dos depósitos é cada vez menor. Por um lado devido à descida das taxas de juro e, por outro, pelo aumento da parte dos juros retida pelos impostos.

fonte:http://www.deco.proteste.pt/i

publicado por adm às 22:24 | comentar | favorito