Saiba quais são os melhores depósitos a prazo

É grande a oferta de depósitos. Os bancos têm aplicações para praticamente todos os prazos, mas é nas de menor duração que tendem a publicitar taxas mais elevadas para atrair os investidores.
São uma opção, se quiser rentabilizar rapidamente o capital disponível, mas para quem vê os depósitos como uma verdadeira poupança, a opção deve recair sobre os prazos mais longos que lhe vão permitir encaixar mais juros.

Regras para escolher os melhores depósitos

Comparar ofertas
Nos depósitos, comparar pode ser a diferença entre ganhar muito, ou muito pouco. Se vai constituir um depósito, analise os juros que lhe oferecem no seu banco, mas compare com outros bancos. Às vezes, vale mais mudar.

Cuidado com as taxas altas 
Um depósito com uma taxa de juro de 4% é bom? Depende. Se for de um ano, é. Permite obter um ganho líquido de 147 euros por cada cinco mil. Se for um depósito a três meses o retorno será baixo. Os bancos anunciam sempre a taxa bruta anual que, neste caso, é aplicada apenas durante três meses. Neste caso, cinco mil rendem 36,75 euros.

Prefira prazos mais longos
Para atraírem novos clientes, os bancos oferecem aplicações promocionais, com taxas altas, mas que duram pouco tempo. Como tal, o retorno é limitado. Prefira aplicações a dois, três e cinco anos. Garante que o seu dinheiro vai estar sempre a render e assegura já remunerações elevadas para o futuro.

Mais dinheiro, mais juros 
Num depósito, os bancos pagam-lhe pelo seu dinheiro. Quanto mais "emprestar" à instituição, regra geral, mais elevada será a taxa. 
Os juros publicitadas são para depósitos até cinco mil euros. Quem aplicar mais de dez mil ou 25 mil euros tem juros mais altos.

Diversificar riscos 
Os depósitos têm baixo risco. Estão protegidos até 100 mil euros pelo Fundo de Garantia de Depósitos. Mas em caso de falência do banco, ainda que o reembolso seja, em teoria, rápido, mais vale não ter todo o dinheiro na mesma instituição.
































































































































Fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=587301
publicado por adm às 22:40 | comentar | favorito