Cinco estratégias para garantir juros mais altos

Apesar da descida da remuneração dos depósitos, alguns cuidados podem ajudá-lo a garantir o melhor retorno.

A "guerra pelos depósitos" já faz parte do passado, pelo que garantir taxas de juro atractivas se tornou uma missão mais difícil. De qualquer forma ainda existem aplicações a oferecer taxas atractivas, bastando para tal uma pesquisa mais cuidada, mas também saber jogar com algumas estratégias.


1. Aproveitar os depósitos promocionais: 
Muitas instituições levam a cabo campanhas em que oferecem taxas de juro mais elevadas do que a média praticada pelo mercado aos novos clientes ou aos que entreguem novos recursos. A maior parte destes depósitos são de curto prazo (três meses). Neste campo um dos produtos mais atractivos é o "Depósito 5% Já", disponibilizado pelo Banco Best. Trata-se de um depósito a três meses, que remunera o capital dos novos clientes com uma taxa de juro bruta de 5%. Já no "Super Depósito 4,5%", o Banco BiG oferece uma TANB de 4,5% aos novos clientes que subscrevam este produto por um prazo de três meses. A mesma remuneração é oferecida pelo Banco Invest a quem coloque novos recursos no "Invest Novos Depósitos" por um prazo de 12 meses. Ainda assim, a imposição de limites aos juros dos depósitos pelo Banco de Portugal restringiu a margem dos bancos na oferta dos "superdepósitos". Por outro lado, há campanhas que pagam os juros de um depósito logo no acto da subscrição, o que permite escapar à subida da tributação, que acontecerá no próximo ano.


2. Depósitos ‘online' mais rentáveis: 
É uma tendência que se tem vindo a esbater, mas na qual ainda existem oportunidades. Ao comparar a oferta dos bancos ao balcão e nas plataformas ‘online' verifica-se que as subscrições de depósitos efectuadas através da internet tendem a apresentar retornos mais compensadores. É o que se passa por exemplo, com vários depósitos do Privatbank. Por exemplo, o depósito a um ano E-"Pé de Meia" é de subscrição exclusiva através da plataforma ‘online' do Privatbank e oferece uma TANB de 5,45%. Ao subscrever o "Pé-de-Meia" ao balcão a taxa bruta oferecida já é de 5,25%. Mas existem outros casos similares.


3. Bancos pequenos mais generosos: 
Basta analisar a tabela ao lado para comprovar que os bancos de menor dimensão tendem a oferecer melhores remunerações nos depósitos a prazo. Mas esta tendência é transversal à generalidade dos prazos. Segundo o ‘ranking' de depósitos da Proteste Investe, Privatbank, Banco Invest, Activobank, BiG, Best, BPN/BIC ou o Banif ocupam na maior parte dos prazos as posições cimeiras em termos de retornos.


4. Montantes mais elevados melhor remunerados: 
Quanto maior for o "bolo" do seu investimento, maiores são as probabilidades de conseguir uma remuneração mais elevada. Ao analisar os preçários dos bancos é possível constatar que muitos deles fazem uma discriminação da taxa de juro oferecida em função do montante aplicado. É o que se passa, por exemplo, com o "Invest Depósito a Prazo" do Bank Invest , em que a remuneração bruta para uma aplicação a 12 meses é de 3,75% para montantes entre 2.000 e 20.000 euros, mas pode chegar aos 3,9% para valores acima de 75 mil euros.


5. Garantir a taxa no médio prazo: 
Uma das formas das pessoas se protegerem da tendência de descida dos juros dos depósitos é colocar o dinheiro em aplicações com prazos mais alargados, já que assim garantem a remuneração por um determinado período, mesmo que as Euribor estejam a cair.

Trabalho publicado na edição de 12 de Outubro de 2012 do Diário Económico


publicado por adm às 23:00 | comentar | favorito