Certificados de Aforro e do Tesouro pagam mínimo de sempre

Nunca renderam tão pouco. Os certificados de Aforro e do Tesouro são produtos de poupança cada vez menos aliciantes. As taxas de juro que serão aplicadas nas subscrições feitas em agosto são as mais baixas de sempre.

Segundo as tabelas publicadas no site do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP), no caso dos certificados do Tesouro, a taxa ilíquida dos juros distribuídos anualmente do primeiro ao quinto ano já estão abaixo de 1%, nos 0,95%. 

Em julho, o juro pago era de 1,2%. São valores que estão a uma longa distância dos 2,1% pagos em novembro do ano passado.

Já a taxa ilíquida anual para uma aplicação a cinco anos mantém-se nos 6,8%. O mesmo acontece com as aplicações a 10 anos - ficam na mesma, nos 7,1%. 

Certificados de Aforro

Não há memória de um juro tão baixo: 0,635% é a taxa bruta fixada neste mês de agosto.

Em apenas um mês, o de junho, os portugueses retiraram 172 milhões de euros dos certificados de Aforro. Um valor a juntar aos restantes meses que, no total do semestre, somam 1.245 milhões de euros que foram retirados destes títulos de dívida pública.

Como rendem cada vez menos, estes produtos de poupança têm motivado, de facto, uma fuga de investidores, e têm perdido terreno para outras aplicações de poupança como, por exemplo, os depósitos a prazo.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/e

publicado por adm às 22:48 | comentar | favorito