Poupanças com rendimento em ponto pequeno

Na melhor das hipóteses, as contas poupança e depósitos a prazo para os mais jovens rendem 4% brutos, o que nem cobre a inflação.

Tal como acontece com as crianças, os novos clientes também não se medem aos palmos. Por essa razão, não será de estranhar que os bancos a operar em Portugal disponibilizem um vasto leque de produtos financeiros destinados a captar as poupanças dos mais jovens e garantir um maior leque de clientes no futuro. A notícia menos boa é que face a muitos produtos de poupança que existem no mercado, a remuneração oferecida para os "clientes de palmo e meio" é muito baixa. O Diário Económico analisou um total de 23 contas poupança e depósitos a prazo vocacionados para os clientes mais jovens disponíveis nos 10 maiores bancos a operar em Portugal. Na melhor das hipóteses, a rentabilidade oferecida é de 4%, em termos brutos. Existem vários depósitos a prazo destinados à generalidade dos clientes a garantir retornos brutos superiores.

Para algumas aplicações, as remunerações oferecidas são mesmo muito baixas. É o que se passa, por exemplo, com a "ABConta", do BPI, e a "Poupança Geração Jovem", do Crédito Agrícola. A aplicação do BPI oferece uma taxa de juro anual bruta (TANB) de 0,55%, ao fim de um ano, enquanto que no caso do produto do Crédito Agrícola, a remuneração bruta na melhor das hipóteses chega aos 0,95%, no mesmo período.

Entre as aplicações para clientes de palmo e meio melhor remuneradas, figuram "Caixa PopPrazo (não mobilizável)", da CGD, a "Conta Rendimento CR Júnior", do BES, e a "Super Poupança a Crescer", do Santander Totta. Qualquer destes produtos apresenta uma TANB de 4%. Ou seja, se considerarmos a taxa de inflação de 3,2% prevista para 2012 pelo Banco de Portugal, o aforrador acaba por perder dinheiro .

fonte:http://economico.sapo.pt/


publicado por adm às 23:28 | comentar | favorito