Depósitos Saiba quais são os melhores

Nem sempre os produtos direccionados para o segmento infantil são os mais rentáveis. Ainda assim, há produtos interessantes no sector

Os depósitos a prazo são, por excelência, a solução de investimento eleita pelos portugueses. Quando se trata de preparar as poupanças para as crianças, são também estes os produtos eleitos na maioria dos casos. Mas, atenção, não se deixe seduzir pelos brindes e escolha apenas os melhores.

Um mealheiro Agatha Ruiz de la Prada, bilhetes para o Badoca Park ou MP4 são alguns dos brindes oferecidos para os mais pequenos, associados a determinadas contas. Embora estas ofertas possam ser aliciantes para as crianças mantenha a razão acima das emoções e escolha os depósitos pelas remunerações. O Negócios seleccionou os melhores depósitos para a gama infantil e comparou-os com os produtos que oferecem taxas mais altas a três anos (ver tabelas abaixo).

SantanderCGD e BES são os bancos que oferecem as melhores remunerações nas soluções para os mais novos, ainda assim, é possível encontrar taxas mais interessantes entre os depósitos comercializados pelos bancos "online".

Escolha uma conta "mealheiro"
Ainda assim, a maior parte destes depósitos não admite reforços, ao contrário do que acontece com os produtos direccionados para o público mais jovem. Por isso, caso ainda esteja numa fase muito inicial da poupança, poderá escolher uma conta júnior para o efeito "mealheiro", de modo a ir reforçando a poupança. 

"Regra geral, as contas juniores têm montantes mínimos de abertura reduzidos e, em alguns casos, um euro é suficiente para fazer um reforço na aplicação", realça um artigo recente publicado na revista da Deco Proteste. 

Ao utilizar uma conta do segmento jovem, os pais podem ainda esperar até constituírem uma poupança mais generosa, para aplicarem o capital noutro tipo de soluções mais rentáveis. "Da mesma forma, pode usar os depósitos para miúdos como ferramenta de acumulação para as outras estratégias: a de dívida pública e a de fundos mistos", destaca o mesmo artigo da Deco.

A associação de defesa dos consumidores aconselha, assim, a juntar aí uma tranche na casa dos 2.500 euros, para depois investir em Obrigações do Tesouro.

Além dos tradicionais depósitos a prazo, os seguros de capitalização são outra das opções de investimento para a gama mais jovem. Face aos depósitos a prazo, estes produtos oferecem vantagens fiscais, para investimentos superiores a oito anos. As melhores taxas rondam os 3%.






Certificados do Tesouro rendem mais de 7% a 10 anos 

Os Certificados do Tesouro são uma das alternativas de investimento para quem está a preparar um pé-de-meia para o futuro dos filhos. Nos casos em que as poupanças apenas serão usadas dentro de mais de 10 anos, este produto oferece taxas de retorno bastante atractivas e mais interessantes que os tradicionais depósitos a prazo. As remunerações superam os 7% a 10 anos. Num artigo recente destinado às poupanças das crianças, a Deco recomenda o investimento em dívida pública nacional. Além dos certificados do tesouro, a associação de defessa dos investidores aconselha ainda a compra de obrigações do tesouro. "Se a criança celebrou recentemente o 9º aniversário, compre a OT que vence em Abril de 2021", realça o artigo.

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/

publicado por adm às 22:57 | comentar | favorito