Saiba se compensa investir nos depósitos em moeda estrangeira

Estas aplicações renderam até 700 euros nos últimos dois meses. Mas é importante não esquecer que existem riscos, como o de acabar com menos dinheiro do que começou.

Os portugueses têm vindo a aumentar a exposição a depósitos em moeda estrangeira, não tanto numa perspectiva de investimento mas de protecção quanto a um possível colapso do euro. A tendência intensificou-se nos últimos dois meses e, até ao momento, o saldo é positivo. Se tivesse realizado um depósito de 10.000 euros, a 30 de Novembro, em dólares australianos, estaria a ganhar hoje 694 euros líquidos. A conversão cambial é responsável por quase 95% deste ganho, já que as taxas dos depósitos a prazo em moeda estrangeira tendem a ser extremamente baixas, chegando mesmo aos 0,01%, brutos. Mas se nos últimos dois meses a variação cambial jogou a favor do cliente, é importante não esquecer que a taxa de câmbio é igualmente o maior factor de risco deste tipo de aplicações. Em última análise, pode ditar a perda de capital.

A lógica é simples: se o euro desvalorizar em relação à moeda na qual constituiu o depósito, ganha capital; se o euro subir, perde capital. Ou seja, uma subida do euro significa que, com o mesmo montante de dólares, por exemplo, comprará agora menos euros. Maria Luís Albuquerque, Secretária de Estado do Tesouro e das Finanças, alertou há cerca de uma semana para os riscos associados aos depósitos em moeda estrangeira e, dada a elevada volatilidade do mercado cambial, este é decididamente um dos perigos que não deve descurar. Segundo as estimativas cambiais dos especialistas consultados pela Bloomberg para o final do ano, caso constituísse um depósito hoje de 10.000 euros em francos suíços ou dólares australianos, chegaria a Dezembro com menos 300 a 400 euros na conta. Em qualquer uma das restantes divisas não perderia capital mas os ganhos ficam bastante aquém do que poderia ganhar no melhor depósito a prazo em euros.

Resta portanto saber se o factor "protecção" compensa a possível perda de capital. De acordo com a Associação de Defesa do Consumidor (Deco), "um depósito noutra divisa junto de um banco nacional não o protegeria do colapso do euro". E explica: "Num cenário de catástrofe, não se sabe exactamente que medidas seriam implementadas pelas autoridades financeiras nacionais e estrangeiras. Desconhece-se, por exemplo, qual o modelo cambial a adoptar ou a relação da nova moeda portuguesa com as divisas estrangeiras". A Deco conclui assim que: "Logo não é possível garantir que o património ficaria protegido apenas por estar denominado noutra moeda". Embora a associação considere que "não é necessário procurar uma solução que o proteja", já que descredibiliza um cenário de desagregação completa da união monetária, adianta: "Se mesmo assim, quiser proteger o seu dinheiro numa conta em moeda estrangeira, o melhor é dirigir-se a um banco noutro país, como a Suíça, por exemplo".

Ou seja, aplicar o seu dinheiro num depósito a prazo em moeda estrangeira pode não ser um mau negócio, mas deve ser feito numa perspectiva de investimento e não de protecção. Deve procurar saber quais as divisas com melhores perspectivas de evolução face ao euro e perceber se a valorização esperada é superior ao que ganharia com as elevadas taxas de juro actualmente praticas nos depósitos em euros. Importa ainda não esquecer que, ao contrário de um depósito "normal", o capital não está garantido, já que poderá incorrer em perdas na altura da conversão final.


Ganhos a dois meses

- Caso tivesse aplicado 10.000 euros num depósito em dólares australianos, a 30 de Novembro, estaria a ganhar hoje 694 euros líquidos (considerando a taxa de juro média líquida para estes depósitos praticada pelos quatro bancos cotados. A CGD não disponibiliza no seu preçário as taxas de juro praticadas nestas aplicações);

- Já se o depósito tivesse sido constituído em dólares ou em libras esterlinas, estaria a ganhar 252 e 335 euros, respectivamente;

- Em coroas norueguesas ou coroas suecas, os ganhos seriam de 167 e 293 euros, respectivamente;

- O Banco Central da Suíça fixou a taxa de câmbio em 1,20 francos por euro no início de Setembro. Ainda assim, se tivesse constituído um depósito de 10.000 euros em francos suíços no final de Novembro, estaria a ganhar hoje 189 euros. O valor compara com o que ganharia no melhor depósito em euros no mesmo período: 75 euros, líquidos.


Os melhores depósitos a prazo a 12 meses em moeda estrangeira

Dólar 
- Melhor oferta: PrivatBank
- Taxa anual bruta: 4,8%
- A taxa de juro mais generosa que encontra no mercado nacional para depósitos em dólares é de 4,8%, que corresponde a uma taxa líquida de 3,6%, a 12 meses. Como alternativa, para um período a três anos, o BES oferece uma taxa anual bruta de 3,5%. Face à cotação actual, os especialistas consultados pela Bloomberg estimam uma ligeira desvalorização do euro a 12 meses.

Franco suíço
- Melhor oferta: BES
- Taxa anual bruta: 0,55%
- A política de juros baixos do Banco Nacional da Suíça impede leva os bancos portugueses de pagarem taxas perto de zero. A melhor oferta pertence ao BES, com uma taxa bruta de 0,55%, ou seja, 0,41% líquidos. Segue-se o Banif com uma taxa de juro anual bruta de 0,45%. Tenha em atenção que, para o final do ano os especialistas esperam uma valorização do euro face ao franco suíço.

Libra esterlina
- Melhor oferta: Banif
- Taxa anual bruta: 3,25%
- Para depósitos com o valor correspondente a 10.000 euros, a 12 meses, o Banif apresenta a melhor taxa de juro do mercado para depósitos em libras. A taxa de juro anual bruta de 3,25% corresponde a uma taxa líquida de 2,44%. A segunda melhor alternativa encontra no BES, com uma TANB de 1,85%. Os especialistas não esperam grandes oscilações no câmbio face ao euro.

Dólar australiano
- Melhor oferta: Banif
- Taxa anual bruta: 5,1%
- Os depósitos em dólares australianos apresentam, por norma, as melhores taxas de juro entre os depósitos estrangeiros. O Banif paga 5,1% em termos brutos, ou seja, 3,8% líquidos, enquanto o BES oferece uma taxa de juro bruta de 3,6%. No entanto, tenha em atenção que as estimativas para o final do ano sugerem uma subida do euro, o que implicaria perda de capital.

Coroa norueguesa
- Melhor oferta: BES
- Taxa anual bruta: 3,4%
- Entre os bancos que disponibilizam depósitos em coroas norueguesas, o BES oferece a melhor taxa de juro. Paga 3,4% de juros brutos a 12 meses, o que corresponde a 2,55% líquidos. O Banif tem uma oferta semelhante com uma TANB de 3,25%. Para o final do ano, os especialistas consultados pela Bloomberg estimam uma muito ligeira desvalorização do euro face aos valores actuais.

Coroa sueca
- Melhor oferta: Banif
- Taxa anual bruta: 2,9%
- Já se optar por constituir um depósito em coroas suecas, encontra a melhor taxa no Banif, com juros brutos de 2,9%, ou seja, 2,18% em termos líquidos. Uma taxa semelhante à oferecida no BES, com uma TANB de 2,85%. Apesar das estimativas avançadas pela Bloomberg indicarem uma ligeira subida do euro, os juros deverão permitir que não perca capital nesta aplicação.

fonte:http://economico.sapo.pt/no

publicado por adm às 21:58 | comentar | favorito