Juros dos depósitos vão ser abrangidos pelo Fundo de Garantia

O Banco de Portugal vai obrigar ao reforço do Fundo de Garantia de Depósitos (FGD), tendo os bancos de contabilizar os juros dos depósitos corridos até à data de indisponibilidade do levantamento, uma alteração que entra em vigor em 2013.

O FGD garante o reembolso dos depósitos constituídos nas instituições de crédito autorizadas a receber depósitos do público e pode colaborar «em acções destinadas a restabelecer as condições de solvabilidade e de liquidez das mesmas instituições», segundo a informação disponível na página da Internet do Fundo.

Num aviso publicado esta sexta-feira em Diário da República, o Banco de Portugal estipula que devem ser incluídos nos saldos dos depósitos «os respectivos juros corridos [juros acumulados desde o último dia de pagamento de juros] contados até à data da indisponibilidade dos depósitos em causa».

O Banco de Portugal sublinha que «o cálculo das contribuições das instituições participantes para o Fundo de Garantia de Depósitos deve ter em conta as potenciais responsabilidades do mesmo, nomeadamente no que diz respeito aos juros corridos associados aos depósitos».

Num outro aviso, o Banco de Portugal define que as mesmas regras devem ser aplicadas ao cálculo das contribuições da Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo, e das caixas de crédito agrícola mútuo suas associadas, para o Fundo de Garantia do Crédito Agrícola Mútuo.

A alteração só será válida para o cálculo do valor das contribuições anuais para o ano de 2013.

O Fundo garante o reembolso da totalidade do valor global dos saldos em dinheiro de cada depositante, até cem mil euros.

O Fundo dispõe de diversos recursos, entre os quais as contribuições das instituições de crédito, as contribuições periódicas (anuais), as contribuições especiais, os rendimentos provenientes da aplicação dos seus activos, importâncias provenientes de empréstimos.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/f

publicado por adm às 23:01 | comentar | favorito