26
Abr 14
26
Abr 14

Taxas dos depósitos continuam a encolher

As taxas dos depósitos estão ainda mais baixas do que no início do ano. Para 12 meses, a melhor taxa é de 2,5% líquida, mas exige domiciliação de salário ou pensão

 

A taxa de inflação prevista para este ano, pelo Banco de Portugal, diminuiu para 0,5% (anterior estimativa era de 0,8%). Assim, a maior parte dos depósitos deverá proporcionar rendimentos reais positivos. Não aceite taxas líquidas iguais ou inferiores a 0,5% (0,7% bruta), caso contrário, as suas poupanças estarão a perder valor real.

A 12 meses, as taxas variam entre 2,5% (Popular) e 0,1% (Barclays). Existem muitas contas a remunerar abaixo da inflação prevista. A conta DP Ordenado do Banco Popular exige domiciliação de salário ou pensão e só pode aplicar até ao triplo da pensão, estando o montante limitado a 15 mil euros. Ou seja, é apenas para pequenos montantes. 
Consulte a análise completa no portal PROTESTE INVESTE.

fonte:http://www.deco.proteste.pt/d

publicado por adm às 12:49 | comentar | favorito
08
Abr 14
08
Abr 14

Taxa dos depósitos recua em Fevereiro para 1,88%

Rendibilidade média das aplicações a prazo chegou aos 2% em Janeiro, mas os bancos voltaram a cortar as taxas no mês de Fevereiro.

Os bancos portugueses voltaram a reduzir as taxas praticadas nos depósitos a prazo até um ano. Depois da subida para 2% no arranque deste ano, após dois meses de descida dos juros, a tendência voltou a inverter-se no segundo mês de 2014, tornando as aplicações a prazo cada vez menos atractivas face aos produtos do Estado.

 

De acordo com os dados do Banco de Portugal, a taxa média oferecida pelas instituições financeiras nos depósitos com um prazo até um ano recuou para 1,88%. Depois da subida para 2% no primeiro mês do ano, a taxa caiu em Fevereiro para o nível baixo desde Novembro (quando estava em 1,9%).

 

Com este corte, a remuneração oferecida pela banca nos depósitos ficou ainda menos atractiva quando comparada com a apresentada pelo Estado nos certificados de aforro que pagam 3,265%. E bastante aquém da taxa média de 4,25% apresentada pelos Certificados do Tesouro Poupança Mais.

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/

publicado por adm às 22:21 | comentar | favorito